Início
Tecnologia
Saúde
Negócios
Variedades
 
Contato
Indique
Incluir Notícia
Quarta-Feira, 28 de Fevereiro de 2024

Otite de verão: um alerta para quem passa muito tempo no mar ou na piscina - 08/02/24


Compartilhar:

Divulgação / Freepik
Divulgação / Freepik

Verão e feriado são a combinação perfeita para curtir a praia, o mar, a piscina e as cachoeiras. Para que toda essa alegria do descanso não vá por água abaixo, é importante tomar alguns cuidados para evitar as otites de verão, popularmente conhecida como dor de ouvido.

Segundo o médico otorrinolaringologista Thiago Brunelli, da Santa Casa de Mauá, diante de todo o calor da época é difícil crianças e adultos não se refrescarem e a otite atinge pessoas de todas as idades. "O canal auditivo é muito estreito e a água que entra e não seca causa fissuras na pele, além de criar um ambiente úmido e perfeito para as bactérias ou fungos", explica o especialista.

A infecção ocorre no canal que liga o ouvido ao tímpano e pode ser externa - causada em razão do excesso de água nos ouvidos ou por algum trauma; ou média, que ocorre atrás do tímpano e é causada por vírus ou bactérias e está ligada a problemas respiratórios.

Alguns cuidados ajudam a evitar a otite, como não mergulhar em águas sujas que possam estar contaminadas; usar protetores de ouvido; evitar o uso de hastes flexíveis, principalmente depois da água, e enxugar o ouvido com toalha limpa e seca.

A dor local é o primeiro sintoma da otite. Ela costuma ser intensa e acompanhada de febre, diminuição da audição, líquido espesso e amarelado, perda de apetite e dor de cabeça. Os bebês e as crianças pequenas, por terem dificuldades em se expressar, podem sofrem mais com as dores e, daí, vale observar se os choros e reclamações estão acompanhados de toques na orelha.

A doença persiste de sete a 10 dias e para aliviar a dor, analgésicos, anti-inflamatórios ou antibióticos deverão ser prescritos. “O tratamento deve ser seguido rigorosamente a fim de eliminar a infecção ou inflamação por completo. Nesse período, o paciente precisa ficar longe da piscina ou do mar. Portanto, para não comprometer o sucesso das férias ou feriado, a prevenção e cuidados são as melhores opções”, orienta o otorrinolaringologista Thiago Brunelli.

Caso a otite seja recorrente – três ou mais em um período de seis meses – o ideal é buscar um tratamento preventivo, pois as otites não tratadas podem trazer complicações como fluídos no ouvido médio, infecções, problemas de audição, além de diversos outros problemas.

O Hospital Santa Casa de Mauá está localizado na Avenida Dom José Gaspar, 1374 - Vila Assis - Mauá - fone (11) 2198-8300. https://santacasamaua.org.br/ .

Informações à imprensa
MP & Rossi Comunicações
Marli Popolin / Luciana Ponteli
mprossi@uol.com.br
(11) 9.3099-1964
5/2/2024



Indique esta notícia:
Seu nome

Seu e-mail

Nome indicado

E-mails dos indicados (separados por vírgulas)

Mensagem (opcional)

Reproduza na caixa de texto, o código anti-spam abaixo



  
Entre em Contato com o responsável pela notícia:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Reproduza na caixa de texto, o código anti-spam abaixo



  
 
 Agenda
 

Copyright © 2008 JORNOW. Todos os direitos reservados