Moda infantil
 
Início
Tecnologia
Saúde
Negócios
Variedades
 
Contato
Indique
Incluir Notícia
Domingo, 15 de Setembro de 2019
 
...
...

Crescem casos de linfomas - 11/09/19

Indique - Contato - Compartilhar:


Dados do Inca – Instituto Nacional de Câncer apontam que 2.530 novos casos de linfoma foram diagnosticados no Brasil em 2018, e que cerca de 4 mil pessoas morrem todos os anos. Para esclarecer sobre a importância de identificar a doença precocemente, no Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas, celebrado em 15 de setembro, o oncologista Fernando Justo, da Santa Casa de Mauá, explica os tipos de linfomas, sintomas e tratamento.

O sistema linfático atua na defesa do organismo e é composto por órgãos, vasos e tecidos linfáticos e pelos linfonodos (ínguas). O linfoma - câncer agressivo - surge quando uma célula normal do sistema linfático cresce desordenadamente e se espalha pelo organismo, com comportamento e grau de agressividade diversa. São classificados em linfoma de Hodgkin e linfoma não Hodgkin, a diferença entre eles está nas características das células malignas.

Os linfomas não-Hodgkin são separados em dois grupos, os agressivos - de crescimento rápido, que tratados de forma correta têm 70% de chance de cura; e os indolentes - de crescimento lento e incurável, sem tratamento específico.

O principal sinal da doença é o aparecimento de ínguas, indolores e sem infecção, além de febre, perda de peso e apetite; coceira na pele; fadiga e sudorese noturna anormal.

O diagnóstico pode ser feito por uma biopsia do gânglio alterado e exames de imagem, se confirmado é preciso identificar as áreas afetadas. No tratamento é utilizada a quimioterapia e, em alguns casos, a radioterapia.

Os anticorpos monoclonais - proteínas presentes no sistema de defesa do organismo alteradas em laboratório - também podem ser utilizados. Em alguns casos é necessária a realização de transplante de medula óssea.

De acordo com o especialista, embora a doença não tenha a causa definida, sabe-se que acomete mais os idosos e alguns diagnósticos estão relacionados a infecções crônicas e fatores ambientais. “Uma forma de prevenção é evitar a exposição prolongada a produtos químicos e os pacientes já infectados com HTLV e HIV devem ficar atentos, pois têm risco de desenvolver o linfoma”, explica.

Como em qualquer patologia, quanto antes identificar a alteração, maior o sucesso do tratamento. Periodicamente deve-se fazer um autoexame, verificando pescoço, axila, virilha, além de analisar se são dolorosas e de crescimento rápido, principalmente se não houver sinal de infecção.

Informações à imprensa
MP & Rossi Comunicações
Marli Popolin
mprossi@uol.com.br
(11) 4436-8408 / 99602-4430
http://www.mprossi.com.br
04/09/2019



Indique esta notícia:
Seu nome

Seu e-mail

Nome indicado

E-mails dos indicados (separados por vírgulas)

Mensagem (opcional)

Reproduza na caixa de texto, o código anti-spam abaixo



  
Entre em Contato com o responsável pela notícia:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Reproduza na caixa de texto, o código anti-spam abaixo



  
Voltar
Envie arquivos
Agenda

Copyright © 2008 JORNOW. Todos os direitos reservados