Início
Tecnologia
Saúde
Negócios
Variedades
 
Contato
Indique
Incluir Notícia
Sexta-Feira, 12 de Julho de 2024

Criando rotinas divertidas e seguras: férias atrativas e proveitosas para crianças - 10/07/24


Compartilhar:

Durante as férias escolares, os acidentes nas residências crescem, principalmente quando as crianças ficam sem supervisão de um adulto. (Divulgação)
Durante as férias escolares, os acidentes nas residências crescem, principalmente quando as crianças ficam sem supervisão de um adulto. (Divulgação)

Especialistas compartilham dicas e alertas essenciais para uma temporada de férias com segurança, alimentação saudável e brincadeiras para as crianças

No Brasil, o mês de julho é sinônimo de férias para as crianças na grande maioria das escolas públicas e particulares. Normalmente, esse período de férias tem duração entre 2 e 4 semanas, variando conforme a região e o sistema de ensino. Esse momento é oportuno para viajar com a família, visitar parentes e desfrutar da folga dos estudos. Entretanto, como manter uma rotina saudável durante esse período de recesso?

Especialistas das unidades de saúde do Hospital Estadual de Formosa (HEF), Trindade (Hetrin) e Centro-Norte Goiano (HCN), em Goiás, e os profissionais de Saúde e os bombeiros civis do Hospital Municipal da Brasilândia (HMB), da Zona Norte de São Paulo, afirmam que é possível conciliar o descanso e a diversão com hábitos que promovam a saúde e o bem-estar das crianças. Uma alimentação equilibrada, com refeições nutritivas e saborosas é essencial. Além disso, é importante zelar pelo sono adequado e, principalmente, pela segurança, além de estimular a criatividade por meio de atividades lúdicas.

Prevenindo os acidentes domésticos

Durante as férias escolares, os acidentes nas residências crescem, principalmente quando as crianças ficam sem supervisão de um adulto. Em 2023, os números registrados pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP) apontaram um aumento de 84,5% em atendimentos e internações causadas por acidentes domésticos, equivalentes a 969 casos nos meses de janeiro a julho. Entre as ocorrências estão as quedas, os afogamentos e as queimaduras, que lideraram os atendimentos ambulatoriais de crianças menores de 12 anos.

A equipe de Bombeiros Civis do HMB orienta o que fazer em casos de acidentes domésticos e também enfatiza a importância de manter as crianças supervisionadas por um adulto. Neste período de férias escolares, os cuidados devem ser redobrados.

“As crianças não devem ficar sem a supervisão de um adulto. Tomar cuidado com o que põe na boca, lavar as mãos, não usar celular na tomada, tesouras pontiagudas, facas e não aquecer líquido no microondas. O líquido chega na temperatura de fervura e quando entra em contato com o ar, pode estourar. A curiosidade também é a causa de muito acidente”, alerta José Cícero Mendes, bombeiro civil.

Os bombeiros recebem treinamentos para diferentes casos, porém, os procedimentos de emergência realizados em crianças não se diferenciam, apenas são adaptados de acordo com a idade, peso e tamanho. O exemplo dado pelos bombeiros José Cícero Mendes e Flávio Santos, foi o de "RCP" (ressuscitação cardiopulmonar), em que, para adultos, são utilizadas as duas mãos, para crianças, uma mão, e para bebês, dois dedos.

Flávio Santos orienta sobre o caso de engasgamento e indica um método específico. “Tente visualizar o corpo estranho e retirá-lo da boca delicadamente. Se não conseguir, deve realizar a Manobra de Heimlich até a chegada a um serviço de emergência (pronto-socorro ou hospital). Esses procedimentos são válidos somente se a criança ou o adulto engasgado estiverem conscientes”, recomenda.

A orientação ao transportar uma criança ferida é preservar a cabeça, a coluna cervical, o tronco e os membros. Caso haja secreção, é necessário um cuidado especial para não obstruir as vias aéreas. No entanto, em situações de acidentes domésticos, a ajuda de profissionais é fundamental, antes de tomar qualquer atitude de forma precipitada.

Alimentação saudável

As férias escolares proporcionam uma ótima oportunidade para incentivar e consolidar hábitos alimentares saudáveis nas crianças. Janaina Benta da Silva, nutricionista do HCN, traz dicas importantes para as crianças e suas famílias durante o recesso escolar.

"Tente manter os horários das refeições organizados. Aproveite o tempo livre para aproximar as crianças da cozinha. Faça boas escolhas de lanches entre as refeições e incentive a ingestão de água e hidratação", orienta a especialista.

Ao sair para passear, Janaina recomenda levar lanches práticos e saudáveis na bolsa. "É hora de manter a alimentação saudável durante as férias, pois uma alimentação equilibrada traz diversos benefícios, como melhora na disposição, prevenção de doenças crônicas não transmissíveis como AVC, doenças cardiovasculares e diabetes, além de fortalecer o sistema imunológico e aumentar a expectativa de vida”.

Para tornar a alimentação mais atrativa e divertida, especialmente para as crianças, a nutricionista sugere investir no estímulo visual. "Tente deixar o momento da refeição mais atraente e divertido. Use e abuse das variações, faça pratos coloridos, brinque com a disposição das cores no prato e tente novas receitas. Realize brincadeiras durante as atividades na cozinha", orienta a nutricionista.

Criando rotinas familiares

As crianças terão mais tempo livre durante as férias escolares, então os pais precisam criar uma nova rotina divertida, segura e saudável para elas. O que fazer e como fazer para que essa rotina seja proveitosa para todos? A Dra. Elba Tânia, coordenadora pediátrica no HEF, compartilha dicas e alertas essenciais para os responsáveis pelas crianças.

“Essa nova rotina tem que ser divertida e segura. Ela tem que passar por hábitos dos quais a sua criança já tem na escola. Elas não precisam levantar-se tão cedo, mas também não precisam levantar-se tão tarde. Acordar muito tarde não é seguro para a saúde da criança, que precisa brincar, tomar banho de sol, ficar ao ar livre e ter tudo o que ela precisa para esse bom ambiente”, explica a doutora.

“As férias foram feitas para a gente poder saber o que fazer de bom. E com isso, estimula-se o crescimento individual dessa criança, que será ainda melhor se ela não ficar só dormindo, ou ficar acordada na madrugada, ou só no celular com os jogos”, observa a pediatra.

Momento lúdico

Os psicólogos Thaís Nicolau e Lucas Muñoz, do HMB, deram sugestões de brincadeiras lúdicas para ajudar a evitar o contato excessivo das crianças com telas (tablets, celulares, computadores e televisão). A presença da família também foi citada como parte fundamental neste período, trazendo "conexão" entre as crianças e seus familiares.

“Atividades que envolvam toda a família são interessantes, além de ser um momento de conexão entre pais e filhos, jogos de tabuleiro, dama, xadrez, além de brincadeiras que estimulem a cognição como jogo da memória, quebra-cabeça, massinha e pintura são as mais indicadas. Atividades ao ar livre são bem atrativas, inclusive, parques e museus da cidade já oferecem uma programação voltada para o período de férias. O acesso às telas deve ser limitado.

Inclusive, a recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) é de que menores de dois anos de idade não tenham acesso às telas. A partir dos dois anos até os cinco, no máximo uma hora. De seis a 12 anos, entre uma e duas horas. Já os adolescentes, o tempo máximo de exposição deve ser de três horas”, orienta Thaís Nicolau.

O "cultivo orquestrado", como alguns sociólogos chamam as atividades exageradamente planejadas com o intuito de aperfeiçoar talentos, pode impedir que a criança aprenda a relaxar de forma espontânea e a buscar estímulos pessoais, criativos e colaborativos. Entre as tarefas específicas, os psicólogos recomendam deixar espaços para brincadeiras livres.

“Podemos dizer que um momento de férias prazeroso para pais e crianças envolve saber ser flexível em se buscar fazer atividades em conjunto, bem como abrir espaço para que cada membro também busque suas atividades de interesse sozinho.
E quando as atividades de entretenimento em conjunto forem programadas, elas devem reconhecer tanto o que os pais julgam como pessoalmente satisfatório, como também as crianças. Para isso, envolvê-las nesse processo de decisão, buscando suas contribuições, pode ser uma boa estratégia para se evitar conflitos e garantir que os sorrisos nas fotos de férias sejam espontâneos, alternando entre propostas diferentes”, acrescenta Lucas Muñoz.

O engajamento dos pais e responsáveis é crucial durante esse recesso, não apenas para garantir o bem-estar das crianças, mas também para fortalecer os laços e a dinâmica familiar. Com as dicas dos especialistas, as famílias ficam mais preparadas para aproveitar esse período tão aguardado pelas crianças, de forma lúdica, segura e enriquecedora para o desenvolvimento físico, mental e emocional de todos os envolvidos. Afinal, as férias significam descanso, diversão e a oportunidade de estreitar ainda mais os laços familiares.



Indique esta notícia:
Seu nome

Seu e-mail

Nome indicado

E-mails dos indicados (separados por vírgulas)

Mensagem (opcional)

Reproduza na caixa de texto, o código anti-spam abaixo



  
Entre em Contato com o responsável pela notícia:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Reproduza na caixa de texto, o código anti-spam abaixo



  
 
 Agenda
 

Porto Velho

12/07/2024
IDPB Liberdade realiza seminário de pais e filhos

São Paulo

13/07/2024
DJ Estevan leva entretenimento à comunidade de Paraisópolis

Petrópolis

13/07/2024
Colégio Santa Catarina faz festa junina beneficente

São Paulo

14/07/2024
Instituto Lírios promove curso de auriculoterapia

Curitiba

01/08/2024
Inscrições Abertas para Curso do Método Mac em Gestão para Advogados de Todo o Brasil

São Paulo

04/08/2024
Evento beneficente em SP celebra as memórias entre pais e filhos com menu afetivo

Copyright © 2008 JORNOW. Todos os direitos reservados